A pré-candidata a senadora da República, Pollyanna Dutra (PSB), negou que tenha recebido um telefonema do ex-presidente Lula (PT) nessa terça-feira (2), dia em que foi confirmada como integrante da chapa majoritária do governador João Azevêdo (PSB), com um ‘estímulo’ para que ela aceitasse ser indicada para o cargo.

Pollyanna Dutra, que já fez parte do PT, tem uma relação de amizade com Lula do tempo em que ela era prefeita de Pombal e ele presidente da República. Em sua fala à Rádio Arapuan FM, ela destacou o bom trato que existe entre os dois, mas negou que a sua relação com o ex-presidente tenha como objetivo “conveniências políticas do pleito de 22”.

“Com certeza, se eu tivesse o telefone dele eu teria ligado ontem e hoje. Na verdade, eu tenho uma relação com o presidente Lula não por conveniências políticas do pleito de 22. Mas eu tenho uma relação consolidada de alinhamento de políticas públicas de Pombal aliada com o PT na época que eu era prefeita e ele era presidente. A gente era muito parecidos. É tanto que eu, como prefeita do PT na época, fui escolhida por ele, pelo Itamaraty, para representar o modelo de gestão das políticas públicas do PT na ONU em Nova Iorque”, relembrou.

PB Agora