Divergindo da recente entrevista do presidente do Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba, desembargador Leandro dos Santos, onde afirmou que não via a necessidade de pedidos de forças federais para garantir a segurança das eleições no Estado. Seis partidos enviaram um ofício para o presidente do Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE-PB), com um pedido de providências para conter a escalada de casos de violência política que vêm ocorrendo no país.

Segundo o texto, a petição foi motivada pelo assassinato do tesoureiro do Partido dos Trabalhadores (PT), Marcelo Arruda, durante sua festa de aniversário, em Foz do Iguaçu, pelo policial federal Jorge Guaranho. O documento foi anexado pelo diretório estadual do PSOL e contou com o aval de outros cinco partidos: Rede, PSB, PT, PCdoB e UP. A ação foi assinada por Adjany Simplicio, presidenta do PSOL na Paraíba, e pelo vice da legenda, Alexandre Soares.

De acordo com Leandro, por enquanto, o pleito será tranquilo como tem sido nas eleições anteriores na Paraíba. De acordo com ele, as Forças Armadas sempre foram parceiras da Justiça eleitoral e que como juiz já trabalhou com esse efetivo em várias cidades paraibanas, destacando que foi uma parceria que gerou bons frutos no sentido de sempre manter a ordem das eleições com o aparato extra, para em situações excepcionais poder manter a tranquilidade.

“Neste ano, até o momento, nós não estamos enxergando a necessidade de tropas federais na Paraíba, mas o juiz eleitoral onde estiver, ele pode solicitar a atuação das forças ao TRE e a Corte analisa o pedido e encaminha ao Tribunal Superior Eleitoral para a decisão final, mas repito: até agora não vejo nenhuma situação na Paraíba que necessite da convocação de tropas federais”, referendou.

Quanto à lisura do processo eleitoral na utilização das urnas eletrônicas, que vem sendo questionada, o presidente afirmou que a sociedade pode ter absoluta confiança na seriedade de todos que compõem a Justiça Eleitoral.

“A Justiça Eleitoral vem cumprindo um papel relevante de preparar a votação com muito afinco, seriedade e transparência em todo o país”, completou.

PB Agora