A prática não é nova, mas em tempos de inflação galopante ficou mais evidente nas prateleiras dos mercados e queixas têm se multiplicado na internet. Trata-se da velha tática da indústria de reduzir a embalagem ou o peso dos pacotes, enquanto os preços dos produtos continuam iguais ou até mesmo maiores. Para falar sobre esse tema foi ouvido o presidente da Associação dos Supermercados da Paraíba (ASPB), Cícero Bernardo, que tentou justificar a prática.

Segundo Cícero Bernardo, a redução do volume das embalagens de produtos de limpeza já é antiga. “A indústria faz isto para não aumentar o preço. No caso dos biscoitos, por exemplo, feitos de trigo, tem havido essa redução porque a matéria-prima vem da Ucrânia, e a guerra tem prejudicado os fabricantes”, disse.

A estratégia para driblar a alta nos preços já ganhou até apelido, “reduflação”. Ou seja, a inflação pela redução do peso ou pelo encolhimento dos produtos. A prática tem sido observada em alimentos, guloseimas e produtos de limpeza de diversos fabricantes. Entre os exemplos, o biscoito Nesfit com aveia teve redução de peso de 20%; o amendoim crocante Pettiz encolheu de 90g para 70g; o pacote pequeno de cookie Toddy teve redução de 5%; o sabão Omo embalagem econômica diminuiu de 4kg para 3,8kg; e a caixa de fósforos da marca Fiat Lux agora vem com 200 unidades, 40 palitos a menos.

PB Agora