Um em cada 10 idosos no Brasil faz uso abusivo de bebidas alcoólicas. Segundo dados de um estudo da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), cerca de 2 milhões de brasileiros mais de 60 anos, contabilizando 6,7% dos idosos do país, consomem várias doses em uma única ocasião, o que é considerado consumo abusivo. Para comentar esse mal, foram ouvidos os especialistas: Dra. Carolina Hanna, psiquiatra; Lucílvio Silva, psicólogo clínico e Arthur Guerra de Andrade, psiquiatra, que apontaram supostas causas e os malefícios a nossa saúde desse mal.

Segundo a pesquisa, do total, cerca de 1,16 milhão de idosos, ou seja, 3,8%, têm o costume de beber de 7 a 14 doses por semana. Além disso, um a cada quatro, 23,7% dos maiores de 60 anos, se diz consumidor de bebidas alcoólicas. O resultado do trabalho aponta que, em meio à pandemia, o consumo de álcool entre idosos se tornou um problema de saúde pública. Em relação ao gênero dos idosos, foi constatado que os homens acima de 60 anos consomem mais bebidas alcoólicas do que as mulheres. Dentre os homens, os com a idade entre 60 e 70 anos são os que mais fazem consumo de álcool. Já a partir dos 70 anos, o consumo cai, principalmente entre as mulheres. De todas as regiões do país, a Sudeste registrou mais ingestão de álcool entre idosos.

Foram analisados, na pesquisa da Unifesp, 5.432 brasileiros acima de 60 anos. Dados coletados com 503 idosos atendidos em Unidades Básicas de Saúde (UBS), de São José dos Campos, também foram usados.

Para Dra. Carolina Hanna, podem existir algumas explicações para isso: a aposentadoria, a solidão, a viuvez, o isolamento social ou alguma doença crônica são fatores que podem levar à depressão e à ansiedade, tendo como consequência – em alguns casos – o alcoolismo.

Noutra vertente o psicólogo clínico Lucílvio Silva, avalia que o consumo de álcool faz parte da cultura do brasileiro, independentemente da idade. “Os eventos sociais sempre foram regados à bebida alcoólica, tanto é que os jovens têm acesso ao álcool e drogas cada vez mais cedo. A cultura machista é outro fator que leva os homens a consumirem bebidas alcoólicas, pois associam a ideia de força, resistência e masculinidade”, comentou.

Complicações

Segundo o Centro de Informações sobre Saúde e Álcool (Cisa), o uso frequente e excessivo de álcool na terceira idade pode aumentar os riscos de complicações de saúde e óbitos. De acordo com o IBGE de 2018, a população brasileira manteve a tendência de envelhecimento dos últimos anos e ganhou 4,8 milhões de idosos (com 60 anos ou mais) de 2012 a 2017, chegando a 30,2 milhões. “Os idosos tendem a sofrer de problemas emocionais, sociais e de saúde como a viuvez, solidão, perda de amigos, aposentadoria, isolamento social, dores crônicas e diversos outros quadros”, diz Arthur Guerra.

PB AGORA