(Foto: Heudes Regis/Arquivo/SEI)

Pernambuco ainda tem 593 mil pessoas com a segunda dose da vacina contra a Covid-19 em atraso e, de acordo com o governo, atualmente não há segurança sanitária para festas como réveillon e Carnaval.

“Hoje não há segurança sanitária para grandes eventos que gerem aglomeração”, afirmou o secretário de Saúde André Longo, ao ser questionado sobre a realização desses eventos.

Em entrevista coletiva realizada nesta quinta-feira (18) no Palácio do Campo das Princesas, sede do governo, na área central do Recife, o secretário também disse que a atual preocupação é com o a sazonalidade das viroses respiratórias, que no verão tem seu pico. A alta de casos do novo coronavírus na Europa também acendeu um sinal de alerta.

“Hoje nossa preocupação não é com o carnaval, é com a sazonalidade. Para não termos que, mais uma vez, se submeter a ter que regredir o plano de convivência e suspender atividades, só há um caminho, que é a vacinação massiva da população antes da chegada da sazonalidade”, destacou o secretário.

O secretário disse que o Comitê de Enfrentamento à Covid-19 discute semanalmente os cenários para avaliar se será possível autorizar as festas e fez um apelo para as pessoas que não estão com o esquema vacinal contra a Covid-19 atualizado.

Para tentar reverter o quadro, ele disse que todos os municípios do estado se comprometeram a participar, entre 20 e 26 de novembro, de uma campanha de megavacinação anunciada pelo Ministério da Saúde.

“Precisamos chegar em fevereiro com as melhores condições sanitárias possíveis e, para isso, a gente precisa de mais de 90% de cobertura vacinal com segunda dose e de pelo menos 2 milhões de pessoas com mais de 55 anos com dose de reforço tomada, além dos trabalhadores da saúde, para uma possível terceira onda”, alertou André Longo.

Sequenciamento genético

A Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) divulgou nesta quinta um novo sequenciamento genético que aponta a continuidade e prevalência da variante delta da Covid-19 superior a 90% no estado. O Instituto Aggeu Magalhães (IAM/Fiocruz PE) analisou 126 amostras de pacientes positivos para a Covid-19 e 124 (98,5%) apresentavam a linhagem e sublinhagens da variante delta.

Apenas dois (1,5%) tinham a variante gama. As amostras foram coletadas entre o fim de setembro e meados de outubro. Os pacientes são dos municípios de Caruaru, Dormentes, Feira Nova, Igarassu, Inajá, Jaboatão dos Guararapes, Lagoa Grande, Moreno, Olinda, Orocó, Ouricuri, Paulista, Petrolina, Quipapá, Recife, Salgueiro, Santa Maria da Boa Vista, São Caetano, São José do Belmonte, Serrita e Triunfo.

Envio de vacinas

André Longo disse que o estado aguarda o envio de novas doses da Janssen pelo Ministério da Saúde para iniciar a aplicação da segunda dose nos 173 mil pernambucanos vacinados com o imunizante produzido pela Johnson & Johnson.

Na quarta (17) foi anunciado que todos que receberam a vacina da Janssen precisam tomar uma segunda dose como parte do esquema primário de proteção e foi liberada a aplicação da terceira dose, de reforço, em pessoas a partir dos 18 anos em Pernambuco. O reforço nesta faixa etária será cinco meses após a finalização do esquema vacinal com duas doses.

O intervalo de quatro meses, pactuado anteriormente, permanecerá para os trabalhadores de saúde e pessoas acima dos 55 anos de idade.

O médico e representante da Sociedade Brasileira de Imunizações, Eduardo Jorge da Fonseca, reforçou a importância de completar o esquema vacinal. “Esperamos que até dezembro deste ano estejamos com 90% da população imunizada com as duas doses”, disse.

Covid-19 em Pernambuco

Pernambuco totalizou 636.774 casos confirmados da Covid-19 nesta quinta-feira (18). De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde (SES), foram contabilizados 212 novos casos no estado, sendo 15 deles de Síndrome Respiratória Aguda Grave (Srag) e outros 197 casos leves.

Clickpb