Em entrevista a imprensa Inácio Arruda, secretário de Ciência e Tecnologia do Ceará, e Roberto Germano, presidente da Fundação de Apoio à Pesquisa da Paraíba (FapesqPB) destacam a importância para o avanço da ciência e tecnologia no Nordeste da elevação do antigo Subcomitê de Ciência, Tecnologia e Apoio à Pesquisa, do Consórcio Nordeste, à nova Câmara Temática de Ciência e Fomento ao Conhecimento.

“Na verdade, a transformação de subcomissão para uma câmara temática, já é o impacto das respostas que foram oferecidas durante a pandemia. No próprio Consórcio Nordeste, a questão da ciência também estava subavaliada. Então, a solução foi criar a Câmara Temática de Ciência, Tecnologia e Fomento – porque há busca de investimentos para essa área”, disse Inácio Arruda, destacando que o subcomitê era subordinado ao comitê científico instituído para tratar da pandemia na região, portanto as discussões estavam muito atreladas a esse fim.

“Essa mudança mostra claramente um certo protagonismo que vêm tendo os estados, talvez decorrente da redução de recursos nas agências de fomento para a área de ciência e tecnologia. E os estados do Nordeste vêm mostrando uma sensibilidade muito grande para essa questão que aflinge esse setor. E os governadores entenderem que ciência e tecnologia é uma mola propulsora para o desenvolvimento de cada estado, portanto da região, está sendo dada uma atenção especial para essas discussões” comenta Roberto Germano.

PB Agora