O feriado do Dia da Independência do Brasil, em 7 de setembro (amanhã terça-feira), será marcado por manifestações contra e a favor do governo em todo o país. Na Paraíba, não será diferente.

Do lado contrário ao atual governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), já são 131 atos agendados, em 125 municípios brasileiros e três estrangeiros. Os organizadores da Campanha #ForaBolsonaro, que reúne 80 entidades e movimentos populares e sindicais, além do Grito dos Excluídos, pedem que a população compareça às manifestações munida de máscara e álcool em gel e que mantenham o distanciamento durante as caminhadas. Quem explica as atos na Paraíba é o presidente do Psol na Paraíba, Tárcio Teixeira.

“Estamos, inclusive, pedindo as pessoas que levem um quilo de alimentos para, depois, fazermos doações para instituições carentes”, diz Tárcio Teixeira, ao explicar que o evento vai marcar a 27ª edição do “Grito dos Excluídos e das Excluídas na Paraíba e em todo o Brasil”.

O ato está marcado para acontecer a partir das 9h e, conforme Tárcio Teixeira, um dos organizadores e coordenadores do evento, os protestos se tornaram ainda mais necessários depois das ameaças que o presidente Jair Bolsonaro tomou a iniciativa de fazer contra as instituições democráticas do país. “O 7 de Setembro será mais uma oportunidade para mostrarmos as fragilidades desses setores da ultradireita que tomaram conta do país”, afirma o presidente do Psol.

Também haverá manifestações em Campina Grande e, lá, apoiadores da pré-candidatura do ex-presidente Lula à Presidência da República prometem denunciar as injustiças sociais a as desigualdades econômicas vividas atualmente pelo país.

No outro âmbito ainda sem local específico para concentração, mas com agenda garantida para também ocupar as ruas, militantes e apoiadores do presidente da República Jair Bolsonaro optaram por transformar o evento em oportunidade para apresentação de demanda, entre elas, o pedido para a abertura de uma investigação do Judiciário, como era o objetivo da CPI da Lava Toga, proposta no Congresso.

Na capital do país, em Brasília onde se encontra com agenda marcada inclusive no Palácio do Planalto, o deputado estadual Cabo Gilberto(PSL) disse que o assunto ainda será tema de discussão até o começo da próxima semana e que o propósito é defender o presidente e protestar contra decisões arbitrárias que tem sido tomadas no país pelo Poder Judiciário.

PB Agora