O Tribunal de Contas da União (TCU) desmentiu informação divulgada pelo presidente Jair Bolsonaro nesta segunda-feira (7/6). Em nota, o tribunal ressaltou que não há informações de que o número de pessoas mortas no país seja menor do que o divulgado pelo Ministério da Saúde em relação à covid-19.

“O TCU esclarece que não há informações em relatórios do tribunal que apontem que ‘em torno de 50% dos óbitos por Covid no ano passado não foram por Covid’, conforme afirmação do presidente Jair Bolsonaro divulgada hoje”, escreveu o órgão.

Mais cedo, o mandatário afirmou que um relatório do TCU revelava que 50% das mortes registradas por covid-19 no Brasil foram por outras causas que não o vírus. A declaração foi dada a apoiadores na saída do Palácio da Alvorada.

“Não é meu. É do tal do TCU, questionando o número de óbitos no ano passado por covid. E ali, o relatório final, não é conclusivo, mas disse que em torno de 50% dos óbitos por covid no ano passado não foram por covid, segundo o Tribunal de Contas da União”, apontou.

Bolsonaro disse ainda que divulgaria o documento na tarde desta segunda-feira. “Esse relatório saiu há alguns dias. Logicamente que a imprensa não vai divulgar. Já passei para três jornalistas com quem eu converso e devo divulgar hoje à tarde. E como é do TCU, ninguém queira me criticar por causa disso. Isso aí muita gente suspeitava. Muitos vídeos que vocês viram de Whatsapp, etc, de pessoas reclamando que o ente querido não faleceu daquilo. Está muito bem fundamentado, todo mundo vai entender, só jornalista não vai entender. O resto, todo mundo vai entender”, acrescentou.

Assunto recorrente

Em abril, o mandatário já havia colocado em dúvida o número de brasileiros mortos pela doença no país; total, nesta segunda-feira, passa de 473 mil vidas perdidas. Ele disse à época que era necessário averiguar a razão das unidades de terapia intensiva (UTIs) estarem cheias e se realmente isso se devia a casos da doença. “Parece que só se morre de covid. Você pode ver: os hospitais estão com 90% das UTIs ocupadas. Agora, o que a gente precisa fazer: quantos são de covid e quantos são de outras enfermidades”.

Em outra ocasião, teceu comentários semelhantes questionando os casos da doença. “Eu mandei o Ministério da Saúde, determinei para levantar o número de óbitos dos últimos cinco anos de certas doenças. Tem doenças que simplesmente o vírus acabou. Várias. Problema de coração parece que acabou no Brasil. Morre pouca gente. Morre de doença respiratória, pouca gente também. Tudo é covid-19”, destacou na data.

Correio Braziliense