A Polícia Federal deteve nesta segunda-feira (24), em João Pessoa, Rocco Morabito, criminoso conhecido como “o rei da cocaína de Milão” e apontado pelas polícias da Europa e da América do Sul como um dos principais líderes da máfia italiana ‘Ndrangheta.

De acordo com o Ministério da Justiça e Segurança Pública, o mafioso foi localizado e detido em um quarto de hotel. Com ele, havia outros dois estrangeiros. Um deles, também italiano, é foragido da Justiça.

Rocco era considerado o segundo criminoso mais procurado da Itália e tido pela polícia italiana como um dos mafiosos mais violentos do país desde o final dos anos 1980. Ele era acusado de comandar a logística da exportação de cocaína de São Paulo para Milão, no norte da Itália.

Depois de 23 anos foragido da Justiça, o mafioso foi detido em setembro de 2017 no Uruguai. Em junho de 2019, porém, ele fugiu da prisão com dois brasileiros e um argentino. À época, ele estava prestes a ser extraditado do Uruguai para a Itália.

No Brasil, ele comandava as negociações de cocaína para a ‘Ndrangheta junto ao PCC (Primeiro Comando da Capital) com apoio do jordaniano Waleed Issa Khamayis, que está preso na Turquia.

Rocco Morabito é condenado na Itália a 30 anos de prisão, por quatro crimes cometidos naquele país. A prisão foi feita em parceria com a Agência Brasileira de Inteligência (Abin) e a polícia italiana. De acordo com a polícia italiana, também participaram da investigação o FBI e a DEA, órgãos norte-americanos. Aqui, a prisão foi efetivada em cumprimento a mandado expedido pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

No Twitter, o ministro da Justiça, Anderson Torres, comentou a prisão e parabenizou a polícia pelo trabalho. “Parabéns a Polícia Federal pela execução do trabalho, perícia e inteligência empregada em mais essa operação bem sucedida!”, escreveu.

Portal Correio